Notícias — 09 setembro 2015

Trabalhadores de postos de combustíveis estão expostos à substância que é altamente cancerígeno

Benze_siteTrabalhadores em postos de combustíveis de todo Brasil convivem diariamente com um inimigo mortal que age lentamente, em especial os frentistas que manuseiam a gasolina, o álcool e o diesel. Combustíveis que têm em sua composição o benzeno, substância tóxica derivada do petróleo e, considerada, altamente cancerígena, e está diretamente associada a doenças como aplasia de medula e leucemias. É o que afirma o médico Danilo Fernandes Costa que defendeu uma tese de doutorado sobre o assunto na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

“As pessoas que trabalham nos postos tem contato diário com essa substância, nossa preocupação é que todos podem ser contaminados. Por isso temos feito alertas e campanhas como a “Coloque Limite”, e alertado também sobre aposentadoria especial”, comentou Lairson Sena, presidente do Sinpospetro.

Aposentadoria especial

Lairson afirma que as funções de frentista, lubrificador e lavador ainda têm o direito de aposentadoria especial. A lei 8213/91 que rege as normas previdenciárias garante o direito à aposentadoria referida.

Estes profissionais, por estarem expostos aos agentes químicos agressivos à saúde, deverão obrigatoriamente aposentar-se com 25 anos de contribuição especial, sob risco de ter sérios problemas de saúde.

“Portanto, a aposentadoria especial é um direito dos trabalhadores de postos de combustíveis, mas é necessário exercê-lo de fato. Aqui no Sinpospetro disponibilizamos toda a assessoria necessária, tanto para os pedidos administrativos, como nas questões judiciais”, finalizou Lairson.

Share

About Author

Comunicação Sinpospetro